sábado, 6 de junho de 2020

Sem Imprensa Neutra Não Há Democracia

Stephen Kanitz

No Brasil, leva mais ou menos dois minutos de leitura para perceber que um jornalista brasileiro é marxista, e luta pela Ditadura do Proletariado e não pela Democracia.

E todo filósofo Kantiano sabe que as suas observações dos fatos do mundo são sempre deturpadas pelas premissas ideológicas sobre como o mundo funciona.

Nós leitores não somos burros, mas estamos ficando, queremos fatos e não “interpretações”.

Nenhum jornalista liberal, comunitário, libertário, conservador cristão, conservador clássico, jamais será contratado e se for, sobreviverá por mais de seis meses.

Uma contra revolução de blogueiros liberais, comunitários, conservadores na mídia social não é a solução, estão fazendo o mesmo erro, xingando-se uns aos outros.

Nós que observamos o mundo, nós que apontamos as mudanças de tendências, que é o que o leitor quer, pois ele quer informação e não ruído, precisamos todos ser neutros.

E não ideólogos que somente querem uma ditadura onde o trabalhador chão de fábrica se apodera dos meios de produção.

E passam a comandar a empresa, e nós vendedores, engenheiros, contadores, auditores, advogados, operadores logísticos precisamos obedecê-los.

Nunca entendi a ordem aos trabalhadores dada por Leon Bronstein Trotsky nas primeiras horas da revolução dentro da revolução de 1917, “retirem todos os administradores dessas empresas num carrinho de mão”.

Carrinhos de mão? Eles não andam?
Um amigo russo me explicou. Foram todos retirados mortos, junto com os contadores e auditores, espiões do capitalismo.

Em 1918, a produção russa caiu 40%, e até hoje intelectuais de Esquerda não desconfiam o porquê.

Por isso a Rússia, como o Brasil, por 100 anos não tem uma classe de administradores profissionais para alertar o PT e a Esquerda, dos erros monumentais administrativos que cometem.

E vão continuar cometendo.


blog do kanitz

sexta-feira, 5 de junho de 2020

O Estado como fim em si mesmo

Wagner Hertzog

Uma das mentiras que há muito tempo é contada aos brasileiros e é cinicamente vendida como se fosse verdade é a de que o Brasil é um país capitalista e nossos problemas são causados pelo capitalismo.

Essa é uma falácia grosseira, sustentada por pessoas que são ostensivamente ignorantes com relação a economia. O Brasil sempre foi um país estatista-desenvolvimentista, especialmente desde o golpe de estado executado pelos militares no final do século 19, que acabou com a monarquia, e deu início a esse depravado lixo positivista-constitucionalista-maçônico que é a república.

O Brasil nunca atingiu os níveis de progresso e desenvolvimento de países inclinados ao capitalismo, como Estados Unidos, Suíça, Chile ou Nova Zelândia, porque o Brasil nunca foi capitalista. No Brasil, o estado sempre teve o controle total da economia.

Não existe nenhuma liberdade econômica no Brasil.
O Brasil é um país saturado de monopólios, oligopólios, agências reguladoras, reservas de mercado e intervenções discricionárias do estado na economia. São apenas algumas oligarquias incrustadas no estado que comandam tudo.

A concentração de renda — contra a qual a esquerda tanto reclama — só é possível justamente porque algumas poucas oligarquias políticas privilegiadas controlam todo o sistema econômico através do estado e usam todos os mecanismos da burocracia estatal a seu favor.

O Brasil nunca pôde atingir níveis de progresso e prosperidade palatáveis e satisfatórios em virtude do agressivo e excruciante assalto brutal praticado pelo estado contra a iniciativa privada. O Brasil tem uma das cargas tributárias mais elevadas do mundo, são quase uma centena de tributos e alíquotas diferentes, o que na prática nos obriga a pagar até mesmo pelo ar que respiramos.

Também pudera, não é para menos, temos que trabalhar como escravos para sustentar o segundo congresso mais caro do mundo — que custa trinta milhões de reais por dia, até mesmo quando está fechado — e o judiciário mais caro do mundo.

Na prática, aproximadamente 75% das riquezas geradas pela sociedade produtiva são expropriadas pelo estado ATRAVÉS DE IMPOSTOS, TAXAS, TARIFAS E CONTRIBUIÇÕES COMPULSÓRIAS com o objetivo único de enriquecer políticos e burocratas.

O BRASIL É UM PAÍS POBRE POR CULPA DO ESTADO!!! QUASE TODAS AS RIQUEZAS GERADAS PELA SOCIEDADE PRODUTIVA SÃO EXPROPRIADAS PELO LEVIATÃ.

O estado também faz de tudo para dificultar a abertura de novas empresas. A burocracia estatal faz com que o processo possa levar semanas ou até mesmo vários meses. Para se abrir uma empresa no Chile, no entanto, é necessário apenas um dia e na Nova Zelândia, algumas horas.

O brasileiro é escravo do estado e trabalha única e exclusivamente para sustentar os marajás do funcionalismo. O brasileiro trabalha para sustentar deputados que ganham 34 mil por mês, ministros do STF que ganham 39 mil por mês, desembargadores que ganham 100 mil por mês e juízes que ganham 600 mil por mês.

A verdade é que o Brasil é um país majoritariamente pobre, porque quase todas as riquezas geradas pela sociedade produtiva são expropriadas pelo estado. Qualquer funcionário público com salário acima de 5 mil reais pode ser incluído entre os 10% mais ricos da população.

ENTÃO PARA DE DIFUNDIR MENTIRAS E FALÁCIAS E FALAR QUE O BRASIL É UM PAÍS POBRE POR CULPA DO CAPITALISMO, ESQUERDISTA IMUNDO, DEPRAVADO, BURRO, MALIGNO, SATANISTA, DOUTRINADO, VAGABUNDO E DESONESTO DE MERDA!!!


Facebook